A EPIDEMIA CHINESA DE PESTE SUÍNA E O BRASIL

Por Marcos S. Jank  (*)

Jornal “Folha de São Paulo”, Caderno Mercado, Edição de 13/04/2019

Essa terrível crise vai gerar oportunidades de comércio e cooperação para o Brasil.

Família e fortuna são valores fundamentais da cultura chinesa. Na história milenar do país, um dos símbolos desses valores é o porco. O ideograma chinês para a palavra “lar” é um suíno embaixo de um teto, simbolizando que família, prosperidade e suínos vivem juntos, simbioticamente.

Estamos no ano zodiacal do porco na China. O país responde por metade da produção mundial de carne suína, ao consumir incríveis 54 milhões de toneladas.

Porém, desde agosto a China enfrenta uma terrível epidemia de peste suína africana, que já dizimou 17% do seu plantel de quase 700 milhões de cabeças, chegando a 20% no abate de matrizes. A epidemia avança no (mais…)

UMA POLÍTICA NACIONAL PARA O TRIGO

Por Rubens Barbosa*

Durante todo o ano de 2018, a Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo) promoveu debates sobre a formulação de uma política nacional para o trigo, envolvendo governo, agências reguladoras, organismos internacionais, academia, sindicatos, entidades empresariais, parceiros potenciais e mídia. Foram ouvidos diferentes elos da cadeia produtiva, representando a produção, cooperativas, indústria, pesquisa, cerealistas, insumos, tradings e entidades representativas do segmento do trigo, com o objetivo de preparar uma proposta ao governo brasileiro que torne o Brasil cada vez mais competitivo no negócio trigo/farinha/derivados.

A indústria moageira do Brasil é o elo entre o campo e a indústria de transformação. E pela primeira vez, foi elaborada uma proposta de Política Nacional do Trigo. Ela chega levando em conta, em especial, as seguintes (mais…)

VITÓRIA DO PT, PREJUIZO PARA O BRASIL

Por Rubens Barbosa* 

O resultado mais importante da visita do presidente Bolsonaro a Washington na semana passada foi a assinatura do Acordo de Salvaguarda Tecnológica (AST), que torna possível o uso comercial do Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão. Com isso, ficam viabilizadas significativas perspectivas comerciais para o Brasil entrar em um mercado anual de mais de US$ 12 bilhões, em especial no de satélites de pequeno porte.

O AST entre o Brasil e os Estados Unidos, proposto inicialmente por Brasília, foi assinado em abril de 2000 pelo governo FHC, mas foi inviabilizado pelo PT, como oposição no Congresso e depois como governo.

A principal reclamação do PT era a de que não havia transferência de tecnologia para o Brasil e que nossa (mais…)

ALIMENTOS E GLOBALIZAÇÃO NO IMPÉRIO BRITÂNCIO

Jornal “Folha de São Paulo”, Caderno Mercado, 02/02/2019

Marcos Sawaya Jank (*)

Busca por comida criou império militar, comercial e gerador de migrações

O Brexit, processo que levou o Reino Unido a sair da União Europeia, transformou-se numa decisão caótica e autodestrutiva para os ingleses. O Reino Unido se isola sem saber para onde vai. Movimentos anti-integração e anti-imigração ganham força nos EUA e na Europa. Medidas protecionistas tendem a reduzir ou a “administrar” o comércio internacional, os órgãos e acordos multilaterais estão sendo repensados, surgem guerras comerciais, tecnológicas e, agora, perseguições pontuais a empresas estrangeiras. Em suma, o mundo parece querer frear o processo de globalização.

Mas a história é feita de ciclos que vão e vem, de forma pendular. Curiosamente a mesma nação que hoje não sabe o que fazer com o Brexit, conseguiu, há 200 anos, tomar medidas radicais que formataram o mundo moderno, produzindo o primeiro movimento de globalização em escala mundial.

Esse é o tema de “The Hungry Empire: How Britain’s Quest for Food Shaped the Modern World” (O Império esfomeado: como a busca dos britânicos por alimentos formatou o mundo moderno), escrito pela professora Lizzie Collingham em 2017. A obra defende a tese de que a força motriz do poderoso Império Britânico no século 19 foi a busca por comida, que (mais…)

A POLÍTICA EXTERNA E O NOVO GOVERNO

Por Rubens Barbosa*

O presidente Jair Bolsonaro enfrentará o mais imprevisível e complexo cenário internacional desde 1945. O multilateralismo (ONU e OMC) e a globalização estão sob ataque com o risco concreto de uma guerra protecionista, colocando em perigo a ordem liberal e ameaçando trazer de volta a recessão.

Políticas equivocadas nos 15 anos do PT colocaram o Brasil em uma situação de isolamento nas negociações comerciais, de atraso na inovação e tecnologia, de perda de poder, (mais…)